Recent Visitors

Ocorreu um erro neste gadget

Seguidores

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Aula de Dança do Ventre na Tv com Suheil - Arabesques

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Samia Gamal - um mito da dança do ventre.


Samia Gamal nasceu em Wana, uma pequena cidade egípcia, em 1924. Meses depois, mudou-se com sua família para o Cairo. Anos depois conheceu Badia Masabni, que a convidou para integrar sua companhia de dança e a trabalhar em seu cassino. Samia aceitou.
Foi Badia quem lhe deu o nome de Samia Gamal, já que seu nome de nascimento é Zainab Ibrahim Mahfuz.
Primeiramente estudou com Badia, e com a então estrela do momento, Tahiya Carioca. Mas ela logo tornou-se uma solista respeitada e criou seu próprio estilo.
Samia Gamal incorporou técnicas do balé (como giros e deslocamentos) e de danças latinas em suas performances.
Ela foi a primeira bailarina de dança do ventre a dançar de salto alto, e também tornou o uso do véu muito popular.
Estrelou diversos filmes egípcios ao lado do famoso cantor e ator Farid Al Attrach, como "I Love You" em 1949 e "Afrita Hanem" em 1950. Eles ainda tiveram um romance na vida real, mas não se casaram. O romance rendeu também muitas canções.
Em 1949, o rei egípcio Farouk proclamou Samia Gamal “A Bailarina Nacional do Egito”, que trouxe atenção dos EUA para a bailarina.
Em 1950 Samia foi para os EUA e foi fotografada por G. John Mili. Ela ainda dançou no The Latin Quarter, um nigthclub em Nova Yorque.
Depois, Samia casou-se com o milionário texano Sheppard King III, que se converteu ao islamismo por sua causa, mas esse casamento não durou muito.
Em 1958 Samia casou-se com Roshdy Abaza, um dos mais famosos atores egípcios, época na qual fizeram alguns filmes juntos.
Outro filme internacional que Samia trabalhou foi “Ali baba e os quarenta ladrões”, do diretor francês Jacques Becker.
Samia Gamal parou de dançar em 1972 quando estava perto dos 50 anos, mas começou novamente depois, por sugestão de um amigo, Samir Sabri. Ela então dançou até perto da década de 1980.
Ela dizia: "Dança, dança, nada além da dança. Eu dançarei até morrer!".
Samia Gamal faleceu no dia primeiro de Dezembro de 1994, no Hospital de Mirs no Cairo, aos 70 anos.
Samia Gamal, ao lado de Tahia Carioca, é considerada uma das mais famosas dançarinas do mundo. E foi a responsável por levar a Dança do Ventre para Hollywood e Europa.
É elogiada e lembrada por seu estilo charmoso e sedutor ao dançar, pela expressividade de seus olhos, bem como pelo quadril leve e solto.

Fonte de pesquisa: central da dança do ventre.


Ritmos utilizados na dança do ventre. Ritmos árabes.


Balady: significa “minha terra ou “meu país”. É um ritmo 4/4 bastante comum. Possui variações bem rápidas e é tocado com múltiplos instrumentos. Dum-Dum- taka-tá- Dum taka-tá
Saaidi: ritmo 4/4, originário de El Saaid, no Alto Egito (era chamado de Raks Al Assaya). Utilizado para a dança da bengala ou bastão. Dum -tá-takaDum-Dum-taka-tá
Soudi: ritmo utilizado para o khaleege. Dum--Dum--tá-/ Dum--Dum--tá-/ Dum
Maqsoum: ritmo 4/4 amplamente utilizado no Egito. Possui duas variações, uma lenta e uma rápida. Significa “cortado ao meio”. DUM Tá-Tá DUM- Tá
Fallahi: os fallahin são fazendeiros egípcios que utilizam este ritmo 2/4 em suas celebrações. É tocado, geralmente, duas vezes mais rápido que o maqsoum. Dum-takataka-tá, Dum takataka
Ayyub: ritmo 2/4 simples e rápido. Usado para acelerar uma performance. Se encaixa bem com outros ritmos. Dum--Dum- tá-/Dum--Dum- tá-/Dum
Masmoudi: ritmo 8/4 egípcio. O masmoudi kebir é também chamado “masmoudi de guerra”, devido a sua cadência agressiva. Dum- Dum- Dum-takataka-Dum-taka-taka
Chiftitelli: ritmo 8/4, que é executado lentamente (comparando-o ao Balady). Originou-se provavelmente na Grécia ou na Turquia. Além de utilizado na Raks el Charky, também é utilizado na Turquia como dança de casais. Dum-katá-katá-Dum-taka-tá
Elzaffa: ritmo 4/4 egípcio, utilizado em cerimônias de casamento. Dançarinos e músicos acompanham os noivos em sua chegada e sua saída.
Karachi: ritmo 2/4, rápido, utilizado bastante no Egito e no norte da África. Ta-taka-taka-tá, Ta-taka-taka-tá
Malfuf: ritmo 2/4 egípcio bastante utilizado na Raks Charky, sobretudo, para entrar ou sair do palco. Dum-katá -katá-/Dum-katá -katá-/Dum
Samaai: bastante utilizado na música egípcia. Possui uma seqüência de três partes. Compõe um ritmo 10/8. Dum-taka-taka-tá, taka-Dum,Dum-tá
Zaar: ritmo 2/4. A dança egípcia zaar é realizada para afastar maus espíritos.
Taqsim: é uma improvisação que não possui ritmo ou estrutura definida.
Wahda wo noz Wahda: é um (1) em árabe. Este ritmo pode ser utilizado para fazer transições entre outros ritmos ou então no início de solos de derbake propiciando uma introdução lenta e envolvente. Dum--katá--katá--Dum-Dum-tá

Fonte de pesquisa: Inter sites.com

montagem comercial cAIRO Luana