Recent Visitors

Ocorreu um erro neste gadget

Seguidores

sábado, 20 de agosto de 2011

Livros sobre Dança do Ventre!


Oi povo!!

Andei pesquisando livros de dança para postar aqui para vocês porém, existem poucas obras, algumas inclusive não encontrei a sinopse então só colocarei a foto, se alguém souber de algum livro e quiser enviar para que possamos postar por aqui será muito bem-vindo!!!
Fonte de pesquisa: Google - livros sobre dança do ventre.

Dança do Ventre - Ciência e Arte ( Patrícia Bencardini - Ed.Texto Novo)
Resenha: Este livro, com enfoque educacional, aborda de forma prática e de fácil assimilação uma das mais antigas manifestações de dança que se conhece. Com esse intuito, no lugar de textos que exploram o lado sensual do assunto, o leitor irá encontrar temas ligados à história e culturas antigas, bem como ciências da filosofia, geometria, anatomia, fisiologia e medicina, todos aplicados à dança do ventre.

Dança do Ventre: Da energia ao movimento (Kilma Farias - Ed.Universitária/UFPB)
Resenha: A dança é uma das mais antigas formas de comunicação entre o homem e o seu criador. Por esse motivo, muitas das danças tornaram-se sagradas, não pela dança em si, mas pelo que elas representam.
A que abordamos neste livro é a dança do ventre – arte religiosa egípcia – que está milenarmente ligada à canalização de energia cósmica e de caráter ritualístico, rica em simbologias que nos remetem a diversas tradições.
Eis aqui uma espécie de cartilha com 250 movimentos simples e combinados entre si que elaborei a partir de muito estudo e carinho para que possa ser útil a professoras, bailarinas, e iniciantes servindo de consulta para planejamento de aulas e coreografias.

Dança do Ventre a arte de ser mulher – ( Cáthia A. Cantusio – Ed.Komedi)
Resenha: No livro, a Autora conduz o leitor pelos caminhos da milenar 'Dança do Ventre', pois vai desvendando todos os componentes da arte, como os véus e seus mistérios, composições, significados e suas cores, indicando o seu uso. Também não se esquece dos trajes e seus simbolismo e, por fim, emocional delas, pois no universo tudo é cor e as cores são raios de luz, onde qualquer ser vivente é a própria luz. A dançaria deve cativar o público, mas, para que isso aconteça , a Autora alerta para o treino, conhecimento especial, carisma, graça e entendimento das frases musicas. Assim, com o completo domínio técnico, a dançarina, ao entrar em cena expande o seu campo emocional, envolvendo nele a platéia, que será rompido apenas ao terminar a performance.








Flexibilidade e Lesões!!


A dança é a arte na qual o artista é a própria obra. Sendo assim, o corpo está dentro dessa expressão essencial para que a arte exista. Na dança contemporânea é exigida uma performance atlética e técnica muito elevadas, onde os bailarinos buscam total domínio do corpo e de seus movimentos. A atividade física conduzida ao extremo pode atuar como agente patológico do aparelho locomotor, e tentativa de superar limites corporais em curto período de tempo, lesões.
  Na dança , devido às constantes repetições de movimentos, impacto pé-chão, podem ocorrer as mais variadas lesões, chegando até, a uma degeneração articular. Cada encurtamento vai criar tensões à distancia, compensações em vários níveis, propiciando ainda mais o surgimento de lesões. 
Dançar requer flexibilidade, força muscular, equilíbrio e resistência. O aquecimento é indispensável para evitar e prevenir lesões e aumentar o bom desempenho do bailarino. Fazê-lo antes das atividades do ballet é sempre necessário. Cada bailarino deve ser capaz de identificar no seu corpo os pontos mais frágeis (vulneráveis) e que devem ser mais trabalhados. Isso se chama “consciência corporal” e nesse momento a prevenção às lesões serão enfatizadas. Como a sobrecarga muscular é intensa, é inevitável que algumas lesões surjam, e é importante identificá-las e tratá-las prontamente, com tratamento medicamentoso e/ou fisioterápico. As lesões mais comuns em nosso serviço são: tendinites, entorses, mialgias, contraturas e estiramentos musculares, metatarsalgias, resultantes sempre de “overuse” (o uso além dos limites). 



Fonte de pesquisa: Najla El Fareeda.

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Mais fotos de maquiagem para dança!!





Lindas estas maquiagens, não? eu amei!!!

Fonte de pesquisa: Google imagens.

Maquiagem para apresentações, algumas sugestões!!!






Algumas sugestões para maquiagem para apresentações, gostaram? Simples e bonitas!!!

Fonte de pesquisa: Google imagens.

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Lesões na dança!!



Oi, povo!!!!

Olha achei um artigo na net bem interessante falando sobre lesões na dança, estou repassando para vocês, vale muito a pena ler para evitar problemas futuros,

beijocas amores.


Bom Dia Flores, hoje venho escrever sobre um assunto que tem me deixado muito triste, sabe aquelas coisas que você acha que nunca vão acontecer com você... Pois é o problema é exatamente este. Este assunto ainda irá render muitos posts por isso irei devagar tentado relatar tudo o que acontecendo comigo. Quando se trata de deixar de dançar (mesmo que por pouco tempo) já me deixa profundamente triste, acho que já deixei bem claro o  quanto a dança é importante e essencial na minha vida - Não vivo para dançar mas danço pra viver- Enfim a dança na minha é simplesmente tudo, e faço de tudo por ela... E exatamente por isso agora estou sofrendo - eu assumo que treino exaustivamente, às vezes o corpo não aguenta mais e eu estou ali- Pois domingo de madrugada após uma apresentação o meu pé já não aguentava mais de tanta dor, chorei horrores e a primeira coisa que vem na cabeça de uma bailarina quando machuca (pelo menos é o que vem na minha) é o MEDO, pois não se sabe o que esta acontecendo realmente e o medo é disso te prejudicar á ponto de fazer você parar, o mesmo aconteceu quando sofri o acidente de carro que me deixou com o braço imobilizado por uns dias - afe os piores dias- e o medo de aquilo nunca passar e fazer você ficar parada sem poder dançar sabe se lá quanto tempo, Bailarina não pode machucar definitivamente. Enfim chegou num ponto que a dor só aumentava e quando às 5 da manhã pedi pelo amor de Deus me levem no médico, e lá vamos nós cheguei no UPA já eram 5:47 da manhã fui ser atendida já eram quase 08:00 pelo Dt Henrique (ortopedista) que me atendeu super bem, fizemos raio-x  aparentemente não havia sido nada na parte óssea ele me examinou e foi constatado: Sesamoiditis.
Sesamoiditis: Esta lesão é uma dor atrás do dedão do pé. Ossos sesamóides são únicos e que não estão ligados a outros ossos, eles são ossos do pé “flutuantes”. Sesamoiditis é quando o tendão funcionando direito por meio desses ossos do pé fica inflamado. Esta condição pode progredir gradualmente e vai afetar o dedão do pé. Isso requer uma pausa até que a dor ir embora. Trabalhar com este tipo de dor só irá causar um problema permanente que pode causar a remoção dos ossos sesamóides!
O que são os ossos sesamóides?
Muitos ossos do corpo humano estão conectados entre si nas articulações, mas há alguns ossos que não se conectam a nenhum outro osso, entretanto eles se conectam a tendões ou estão envolvidos totalmente por músculos. Estes são os ossos sesamóides.
A patela, por exemplo, é o maior osso sesamóide do corpo humano. Dois outros ossos sesamóides são muito pequenos, têm a forma de grãos de feijão e são encontrados na planta dos pés logo abaixo do hálux (primeiro dedo ou dedão).
Os sesamóides são como polias e, como tal, promovem uma superfície lisa sobre a qual os tendões deslizam, potencializando a capacidade de transmitir a força gerada nos músculos. Os sesamóides auxiliam também na capacidade de suporte de peso e ajudam a elevar os ossos do primeiro dedo.
Como outros dedos, os sesamóides podem fraturar ou os tendões ao seu redor podem inflamar-se. Isto se chama sesamoidite, complicação freqüente entre corredores e dançarinos.

Quais são os sinais ou sintomas?
Dor progressiva com piora durante a corrida ou ao caminhar descalço.
Localizada abaixo do primeiro dedo (hálux), na planta do pé.
Dificuldade para permanecer na ponta dos pés.
Dor à palpação e manipulação do primeiro dedo. Inchaço possível
Como fazer o diagnóstico?
As radiografias dos pés são úteis para diferenciar as sesamoidites de fraturas. Em muitas pessoas, o sesamóide medial possui duas partes (bipartido). Neste caso, as radiografias são diferentes das fraturas, pois os sesamóides bipartidos têm uma forma arredondada e lisa. Como as radiografias são geralmente normais nas sesamoidites, os exames de cintilografia óssea ou ressonância magnética são mais precisos no diagnóstico.
Como são tratadas as sesamoidites?
Medicamentos anti-inflamatórios sob prescrição médica.
Diminuir ou interromper as atividades que estejam causando a dor.
Utilização de compressas de gelo local.
Usar tênis ou calçados com maior absorção de impacto.
Utilização de órteses nos casos de persistência dos sintomas por mais de 4 a 6 semanas.
Elevar o pé.
Depois dessa explicação toda, os remédios foram passados e foi recomendado 15 dias sem dançar, o médico me explicou que tomando a medicação e colocando gelo em três dias eu já veria melhora isso não quer dizer que já poderia sair fazendo estripulias e que o ideal é que haja repouso, pois se não houver isso pode gerar uma fratura por stress e ai minha amiga o buraco é mais embaixo. Prometo vou me cuidar!
Fazer atividade física vem com um risco de lesão, e a dança não é exceção. Novos bailarinos devem construir a sua força e flexibilidade de forma lenta e segura. Uma das maneiras mais importantes para evitar lesões é levar algum tempo para aquecer os músculos principais do corpo. Apesar de nossas melhores intenções, porém, as lesões na dança acontecem.
A prática de nós bailarinas exige  horas de treinamento exaustivo que envolve as articulações em posições excessivas, muitas vezes não-fisiológicas, podendo exceder a amplitude de movimento normal resultando em lesões. Geralmente o treinamento é composto por exercícios de aquecimento, alongamento, flexibilidade, quedas, saltos, equilíbrio, amplitudes exageradas de movimento, forças dinâmicas, estáticas e explosivas, giros, pegadas, criatividade, relaxamento, trabalho sobre sapatilha, resistência aeróbica, anaeróbica, entre outros, tudo para buscar o sincronismo perfeito e a técnica apurada que resultam em um desempenho corporal de qualidade.
O objetivo é somente de alertar, prevenir, conscientizar para que os dançarinos procurem escutar e perceber os sinais do próprio corpo, procurando aprimorar técnicas que evitem causar traumatismos e lesões corporais e, caso percebam alguns desses sintomas, procurem ajuda imediata de especialistas. A dança é uma arte que deve ser feita com amor, dedicação, mas acima de tudo, com respeito ao instrumento mais precioso: seu próprio corpo.
Fonte de pesquisa: Estúdio de dança Anna Paula.
Postado pela bailarina : Jéssica Assis.

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Escrita certa!

Oi, povo, será que alguém pode me dizer a forma correta que se escreve o título da música de Amr Diab? No youtube é escrito de uma forma e no site dançadoventrebrasil é outro!!! me ajudem!!! beijos.

Música: Tamally Maak!

Amr Diab ' Tamally maak '

Tamalyn Maak - Para sempre com você! - Esta música é muito romântica!!!


Tamalyn Maak - Para sempre com você!

Estou sempre com você
Mesmo se você está longe de mim, seu amor está em meu coração
Estou sempre com você, sempre está em minha mente e em meu coração
E eu nunca esqueço de você

Eu sempre sinto a sua falta mesmo quando estou contigo
Eu sempre espero por você, minha querida
Meus olhos sempre chamam por você
E se o peso do universo estivesse sobre mim
Eu o suportaria, minha querida, preciso de você

Para sempre com você, meu coração está contigo, minha alma está contigo
Oh, minha querida mais preciosa, oh minha querida mais preciosa!
Não importa o quanto esteja distante de mim, você está perto do meu coração
Oh, meu devir e meu presente. Oh, meu mais precioso destino.


 Fonte de pesquisa: Dança do Ventre Brasil.

Tsifteteli- Youngsters on To party ths zohs soy

Ritmo Ciftelelli.


O ritmo Ciftelelli (também chamado Chifteli, Chiftelelli, Chifteleli ou Tsiftetelis), considerado majoritariamente como de origem turca, é um dos ritmos que menos se comenta aqui no Brasil, até porque são poucas bailarinas que dançam os estilos que correspondem a ele.
A base do Ciftelelli é parecida com a do maqsum, porém marcado por uma cadência diferente e lenta: DUM TAKA TA TAKA TA DUM DUM TA. O Ciftelelli é um dos ritmos-base que acompanha o taksim (improvisação melódica de um outro instrumento, que não a percussão), sendo encontrado também em músicas clássicas. Existe no Egito uma variação mais simples dele e também mais lenta denominada Wahda Khabir ou Wahda Wa Noss, este mais comumente presente nas músicas clássicas, e com a estrutura: DUM TAKA TA DUM TAKA.
O nome Ciftelelli é uma derivação do grego arcaico "diphuatila" que significa "duas cordas". Esse nome tem origem do instrumento que originalmente compunha este ritmo, o "baglamá". O nome Ciftelelli também corresponde à denominação da dança do ventre na Grécia, por essa se compor de estilos bem diferentes do padrões libaneses e egípcios, e consequentemente do resto do mundo. A dança do ventre grega/turca, dizem os estudiosos, se compôs não só com presença otomana em seu território, mas também com a junção de danças ritualísticas da época da Grécia Antiga... Além da dança do ventre, o ritmo Ciftelelli também é utilizado numa dança para casais, no qual o homem fica "admirando" os movimentos sinuosos da parceira! Haja tcham!

Fonte de pesquisa: Dança do Ventre Brasil.


quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Tribal Fusion!!

Aproveitando que estou fazendo uma coreografia tribal e declarando minha completa paixão por este estilo de dança, achei um texto bem interessante e objetivo sobre o que é a dança tribal. Ainda não tive a oportunidade de fazer aulas de tribal, mas através de dvds didáticos estou tentando aprender!!!Espero que vocês gostem, comentem, participem!!!!lilililililililililililililililililili!!!!



Tribal Fusion

 O que é Tribal Fusion?


Que o Tribal está virando uma febre, não há dúvidas, mas ainda não está bem claro para todos. Afinal, o que é Tribal Fusion?
Tribal é derivado de tribo e assim pode ser usado para toda a dança de uma determinada tribo ou grupo de indivíduos. Sendo assim, o Tribal Fusion funde em si arquétipos, conceitos e movimentos das danças étnicas de variadas regiões como o Flamenco, a Dança Indiana, Havaiana e danças folclóricas de diversas partes do Oriente e tem como base a já conhecida Dança do Ventre. Por isso pode-se dizer que o Tribal é uma bela variante da Dança do Ventre onde se tem liberdade para colocar mais de si mesmo na dança. Hoje conseguimos ver o Tribal com influências modernasbastante populares como o Break, a dança Contemporânea, fusões com danças e músicas dos Balkans (ciganos do leste europeu) e temas remetentes ao Vaudeville (cabaret), com estética e músicas variadas.
No Tribal basta ser o que se é.

          Benefícios:
O Tribal exige bastante preparo físico nas aulas, postura, aquecimento, exercícios com base na Ioga, e seus benefícios são bastante extensos. Alguns deles são:

Aspectos físicos:
  • Aumenta a resistência física;
  • Aumenta a irrigação sanguínea principalmente na região do abdômen;
  • Alonga, enrijece e tonifica vários grupos musculares (abdômen, pernas, braços, costas e glúteos);
  • Melhora o condicionamento das articulações;
  • Massageia os órgãos internos, estimulando seu funcionamento;
  • Promove o relaxamento muscular aliviando tensões;
  • Desenvolve a coordenação motora;
  • Trabalha o equilíbrio;
  • Promove a reeducação postural;
  • Aumenta a flexibilidade;
  • Desenvolve a agilidade mental e concentração;
  • Desperta a noção de musicalidade e ritmo.

Aspectos terapêuticos

  • Auxilia no processo de superação da timidez;
  • Desperta a sensibilidade artística e criativa;
  • Desenvolve a expressão e a sensualidade longe da vulgarização;
  • Promove a dissociação corporal e o auto-conhecimento;
  • Resgata a feminilidade;
  • Eleva a auto-estima;
  • Desenvolve a autoconfiança e a sensação de bem-estar com o próprio corpo;
  • Contribui para o alívio do stress e das tensões cotidianas.



Quem pode fazer aula de Tribal?
 Não há nenhum tipo de restrição quanto à prática da dança do ventre e conseqüentemente quanto à prática de Tribal. Também não há restrição quanto ao sexo. Existem muitos homens que dançam Tribal justamente pela liberdade que a dança oferece independente da idade ou do tipo físico, exceto por quem apresenta problemas graves de coluna que é bastante trabalhada na dança. As gestantes podem dançar com a devida orientação médica e desde que a gravidez não seja de risco e os movimentos sejam mais leves.
Adotando uma boa postura, e praticando sem exageros qualquer pessoa pode fazer as aulas e aproveitar as inúmeras vantagens dessa dança encantadora.

Fonte de pesquisa: esppacoalpha.com



segunda-feira, 1 de agosto de 2011

De volta ao blog!

Oi povo!!!

Estava de férias, então o blog ficou sem postagens neste período, porém agora voltando com a corda toda!
Olha postei dois vídeos de premiações do mercado persa que aconteceu em Curitiba com a trupe da queridíssima Bety Damballah, conquistando prêmios mais que merecidos!! Vejam os vídeos, comentem, participem!!! lilililililililililililililililililililiili!!!! beijosssssss.

DAMBALLAH PRIMEIRO LUGAR PROFISSIONAL - GRUPO TRIBAL - MERCADO PERSA CUR...

DAMBALLAH TRIBAL AMADOR - DUPLA - MERCADO PERSA CURITIBA