Recent Visitors

Ocorreu um erro neste gadget

Seguidores

quinta-feira, 6 de maio de 2010

Ritmos Árabes!!

Ritmos Árabes

As características dos principais ritmos árabes.

Baladi
Compasso 4/4. É sem dúvida o ritmo mais conhecido e utilizado na Dança do Ventre.
Em árabe, "baladi" significa meu povo, podendo representar a terra natal e tudo que tenha origem popular. A dança baladi se caracteriza pela forte marcação do ritmo, os pés marcam o tempo musical e o quadril marcam o contratempo.

Maksoum
Compasso 4/4. É um ritmo muito forte, no que se refere a animação.
Junto com o Baladi, são os ritmos básicos da música árabe.O Maksoum é considerado um ritmo acelerado do Baladi.

Masmoudi
Compasso 8/4. Similar ao Baladi, só que realizado diminuindo o andamento do compasso, transformando o tempo de quatro, para oito.

Said
Compasso 4/4. Os dois Duns que iniciam o Baladi, aqui são encontrados no centro do compasso.
Said significa feliz, é um ritmo árabe bastante popular executado em ocasiões festivas. Em princípio, este ritmo era usado para dançar "Tahtib", uma dança marcial masculina, na qual os homens simulavam lutar com longos bastões que fazem às vezes de uma arma.Seus movimentos eram fortes, ágeis, marcados por saltos, giros e batidas de bastões.
No Brasil, é usado na Dança do Bastão por mulheres, com movimentos extremamente femininos e graciosos, diferentemente do Tahtib.

Malfuf
Compasso 2/4.É um ritmo acelerado, muito utilizado na Dança do Ventre para entradas e saídas no palco, ou como "ponte" de movimentos.
Muito utilizado no Meleah Laff e na Dança com Candelabro.

Falahi
Compasso 2/4.Falahi significa "caipira", os camponeses egípcios usavam esse compasso em canções para celebrar a colheita.
Geralmente é tocado 2 vezes mais rápido que o Maksoum. Esse ritmo originário do interior do Egito também acompanhava as mulheres que iam buscar água com um jarro sobre as cabeças e em grupo.

Saud
Compasso 2/4.Saud significa "que vem do Golfo". É um ritmo conhecido para se dançar o Khallege. Os países onde este ritmo é mais conhecido são: Kuwait, Katar, Arábia Saudita e Emirados Árabes.

Fonte de pesquisa: http://www.yalabina.net/


Instrumentos árabes!!!

Instrumentos
A música árabe está presente nas apresentações de dança do ventre e, conta com alguns instrumentos caracteríticos: Derbak, Daff e Snuj.As dançarinas utilizam com frequência instrumentos para acompanhar os músicos, principalmente os snujs. Existem os instrumentos de corda (alaúde, violino e cítara), os de sopro (vários tipos de flautas; as mais usadas são o nay e o miguêz) e os instrumentos de percussão (doholla, snujs, dâff, reque, mazhar tablet, e o derbak).
Os instrumentos podem ser também classificados em percussivos, melódicos e harmônicos. A percussão é o lado instintivo e está ligado ao quadril; a melodia corresponde aos sentimentos e está ligada ao peito; e a harmonia, ao lado racional, correspondente à cabeça. É de responsabilidade da bailarina de Dança do Ventre saber interpretar cada instrumento no seu solo, mostrando assim a qualidade de cada instrumento.

Derbak (nome árabe) ou Tabla (nome egípcio)
O derbak é o principal instrumento de percussão árabe, muito comum na maioria das músicas com um som bem alegre e vibrante.
A bailarina e o derbak podem fazer uma grande dupla se estiverem em ótima sintonia.As batidas fortes tem que ser acompanhadas com a mesma precisão pela bailarina.
O instrumento tradicional é feito com argila queimada revestida por pele de peixe ou de cabrito.

Daff (Pandeiro)
O Daff, nome que recebe do Líbano, é um pequeno pandeiro feito em anel de madeira e revestido em pele de peixe ou carneiro.Possui cinco címbalos duplos totalizando um conjunto de 10 címbalos que produzem grande sonoridade.Possui também sua versão moderna em aro de metal e pele de nylon.No Egito, recebe a denominação “Riq”.Partindo da análise de sua sonoridade, podemos chamá-lo de “pandeiro tenor”. Há 3 formas de se tocar os címbalos:

A- Utilizando todos os címbalos;

B- Utilizando parte dos címbalos;

C- Utilizando apenas a membrana de couro.
No Brasil, o Daff somente passou a ser conhecido pelo público em geral na metade dos anos 80.Esse instrumento juntamente com o Derbak e os Snujs, foram os primeiros instrumentos de percussão árabe a serem usados por músicos no Brasil.
Assim como os snujs, por ser pequeno e fácil de lidar, também pode ser usado nas danças pela própria bailarina.O Daff tem como principal objetivo ostentar o ritmo árabe.Os ritmos mais rápidos são perfeitos para serem acompanhados pelas batidas do pandeiro no corpo da bailarina.

Snujs
São pequenos címbalos metálicos, tocados pela bailarina com um par em cada mão.Eles se assemelham com a famosa "castanhola" espanhola.Produzem um som característico que dão vida e alegria ao ritmo que está sendo tocado.

Alaúde
Seu nome vem do árabe Al-'Ud (cujo plural é 'Idan). Sua origem remonta ao século VII. Possui braço curto, fundo arredondado e 5 pares de cordas. No passado, suas cordas eram feitas de seda e tripas. Atualmente, as cordas maiores são feitas de nylon, e as menores, de metal e seda. Nos tempos mais antigos, a palheta utilizada para tocar as cordas era feita de pluma de águia; atualmente, ela é feita de casco de búfalo ou de plástico. É considerado tradicionalmente o principal instrumento da música árabe, e ainda é muito utilizado.

Contrabaixo
Quando, na metade do século XX, múltiplos violinos, e em seguida violoncelos tornaram-se parte das orquestras árabes, os contrabaixos foram também introduzidos, funcionando tanto na melodia quanto na percussão. Geralmente, na música árabe, as cordas são puxadas com a mão, e não tocadas com o arco.

Nay
É uma flauta de junco, aberta dos dois lados, com 6 orifícios. Quando tocado, a ponta oposta à que está na boca fica voltada para baixo, obliquamente ao lado direito do corpo do músico. Um mesmo músico utiliza 6 ou 7 nays de diferentes comprimentos, para tocar em diferentes alturas. O junco com o qual o instrumento é construído deve possuir 9 segmentos, portanto deverá ser escolhido um pedaço de junco que tenha 8 nós (ou juntas) naturais. Este instrumento data de um período bastante remoto. O Nay tem associações filosóficas e místicas, nas quais ele é associado ao corpo humano: ambos precisam do sopro da vida para se tornarem ativos. De acordo com estas crenças, o som do Nay pretende expressar a ânsia do homem em unir-se a Deus. Este instrumento também existe na música turca e persa, onde foram acrescentadas peças para encaixe da boca. Na Turquia, esta peça é feita de madeira ou chifres, e no Irã ela é feita de metal. Geralmente, seu som se assemelha a um longo apito.

Violino
Instrumento europeu que foi adotado pela música Árabe no século XIX. No século XX ele já havia tomado o lugar da antiga rabeca de ponta de ferro, passando inclusive a usar o seu nome: kamanja ou kaman. A quantidade de músicos violinistas nas orquestras Árabes também aumentou desde a primeira metade do século XX: no início era apenas um, e hoje em dia, nas grandes orquestras, utilizam-se 12 ou mais.

Violoncelo
Quando os múltiplos violinos foram introduzidos nas orquestras árabes, na primeira metade do século XX, o violoncelo também também passou a ser utilizado. Na segunda metade do século XX tornou-se comum nas grandes orquestas a utilização de pelo menos três deles.

Fonte de pesquisa: http://www.yalabina.net/