Recent Visitors

Ocorreu um erro neste gadget

Seguidores

terça-feira, 23 de março de 2010

Origem da música árabe!

São raros os registros sobre a origem da música árabe que era passada oralmente. No entanto, há indícios da formalização teórica por volta de 800 anos antes de Cristo. Segundo o historiador Ibn Khaldun, os árabes não possuíam a princípio, em questão de música pré - islâmica, senão a arte dos versos rimados. Talvez a primeira forma rítmica vem dos condutores de camelos que, ao desejarem estimular a marcha destes e para passarem o tempo, faziam trinados e cantavam, acompanhando o barulho dos sinetes suspensos nos pescoços de seus camelos. Um outro ritmo chamado "Khafif" era usado nas festas de casamento e nas principais celebrações que servia para a dança e para marcar o passo ao som do Daf (pandeiro) e do Mizmar (flauta de caniço. Os escritos mais antigos sobre a teoria musical são de autoria de Al-Kindi (século IX) e revelam influência grega. São treze os seus tratados, sendo os mais importantes: "Elementos do conhecimento da música" e "O livro indispensável para a composição das melodias”. Dados mais seguros vão surgindo mais tarde numa obra valiosa intitulada "Kitab-al-Aghani" (Livro das canções): uma mina de informações sobre a música, os músicos e a vida musical em vários séculos, relatada por Abul -Faraj-AI-lsfahani (897 - 967 D.C.). Somente no fim do nono século que músicos, escritores e filósofos começaram a especular sobre a origem e natureza de sua música. Por falta de documentos históricos, surgem lendas e vagas tradições tais como a do Lamek - descendente de Enoch, e essa de Adão - que criou o primeiro alaúde do fêmur do filho morto para poder lamentar a sua perda. Nessa época, tornou-se necessário o estudo de música, sendo parte da cultura diária e da educação do homem. Segundo Al - Farabi (950 D.C. ), no seu livro Kitab-AI-Musiqui Al-Kabir" (o grande livro da música): A teoria musical renasceu somente quando a prática atingiu o ápice de sua evolução. Muitos manuscritos e tratados gregos foram traduzidos no período do Califa Al-Mamun. Os filósofos muçulmanos como Ikhwan as – Safa** (irmãos da pureza) viam a música como uma das ciências físicas, ensinando-a para conhecimento espiritual. A base dos seus ensinamentos era a música das esferas, visando despertar no homem a beleza e a harmonia universal numa transcendência à existência material. Al-farabi (870-950 D.C.), Avicena (980-1037 D.C.), Ibn Zayla ( 1048 D.C.) e Safi al- Din Al Urmawi ( 1294 D.C.) colaboraram decisivamente em formar a teoria musical árabe - os intervalos e suas divisões, os harmônicos e os dissonantes, os gêneros, os sistemas, os modos, os ritmos como também a teoria de composição e fabricação de instrumentos musicais. Com eles, a música tomou um novo rumo, tornando-se um encontro entre diferentes culturas musicais, produzindo a "nova música", contendo conceitos de várias influências externas e tendo o elemento “Árabe” como agente principal e catalisador.

Jamal Ibrahim Elias

Fonte de pesquisa: julianealanogaia.blogspot.com/2009/08/codigo






Um comentário: