Recent Visitors

Ocorreu um erro neste gadget

Seguidores

sábado, 28 de agosto de 2010

Mais um texto de Luana Mello (ameiiiii)!!!!!!!!!!!!!!

Hoje, mais uma vez, tive que ouvir de uma Dançarina do Ventre (das conhecidas), frasesinhas clichês como aquelas que sempre ouvimos. Me irritei muito, muito mesmo, pois é por causa desse comodismo ridículo que paira na educação da Dança do Ventre que nós não saímos do nicho e todos os meios de arte nos marginalizam.

E nos marginalizam com razão, por que eles levam sua arte a sério e nós ficamos aqui brincando de ser bailarina, brincando de ser professora, brincando de ser dona de escola. É como eu sempre digo, dizer que é bailarina é fácil todo mundo quer dizer que é... Agora arregaçar as mangas e ser bailarina de verdade ninguém quer por que dá muita preguiça.

Já deixo mais uma vez bem claro que eu tô fora desse ponto de vista. Quando alguém fizer alguma observação tão medíocre como essas que transcrevo abaixo, já aviso que discordo horrores.

Pra mim Dança do Ventre é profissão, é coisa séria e eu quero tudo do melhor sempre. Eu quero sempre dar meu máximo e quero sempre fazer o mais bem feito possível. Sou contra quem pensa que o mais ou menos basta.

A Dança do Ventre tem potêncial para ser beeeeem mais do que é, basta a nossa classe deixar de ser preguiçosa e valorizar mais os louros do que os ensaios. Minhas respostas bem mal-educadas estão em vermelho:

1. "Nããão, pra dança do ventre não se precisa de coreografia. O certo mesmo é fazer meio a meio... O improviso é uma arte!"
R: Isso mesmo, continue improvisando e fazendo tudo mais ou menos em cima do palco. Pra que coreografar né? Que bobagem... Provavelmente quem inventou a coreografia (ciência obrigatória em todas as danças sérias) não tinha mais o que fazer!!
O certo mesmo é ouvir a música centenas de vezes, dar umas dançadinhas e subir no palco mais ou menos preparada. Melhor ainda é fazer o público sair de casa pra ver vc improvisar e dar umas 'erradinhas'. Oooora mas o que que tem errar um pouquinho? Ninguém percebe...
O improviso é sim uma técnica estudada há séculos por todas as grandes artes, mas isso que aprendemos na Dança do Ventre está looonge de ser improviso, é na verdade uma mistura de preguiça com ignorância e total falta de respeito pelo que se faz.

2. "Ensaiar todos os dias também não é necessário, por que dança do ventre 'não é ballet', não precisamos dançar até os pés sangrarem!"
R: Mais uma pérola abençoada! É por isso que Dança do Ventre é essa meleca, por que as pessoas não pensam em ir além e acham que o que existe já está bom. Ninguém quer ultrapassar limites nem descobrir até onde a capacidade da Dança do Ventre vai. Se contentam em dançar um tiquinho por dia, sem disciplina nem seriedade e acham que já está bom...
Continue assim e sua dança será sempre mediana e igual a todas as outras que existem por aí. Se vc quer ser igual a todo mundo continue tratando a dança com essa irresponsabilidade. Assim você ajuda a manter a Dança do Ventre no último lugar do ranking do profissionalismo.

3. "Bailarina de Dança do Ventre não precisa estar em forma, isso é pras outras danças. E além do mais estar acima do peso nem prejudica nossas articulações por que nós não temos movimentos tão difíceis..."
R: Isso, a bailarina trabalha com o corpo e não precisa ser um exemplo de saúde!! Eu defendo isso por que sou neurótica e fútil, sim sim... Pra que manter seus músculos fortes e sadios? Pra que balancear bem sua alimentação??
Sabe o que isso quer dizer? Que vc não leva a Dança do Ventre a sério. Quem defende que a profissional de Dança do Ventre pode estar fora de forma, assina embaixo que acha que a Dança do Ventre não merece seu esforço.
Além do que a informação de que a gordura abdominal é muito perigosa e pode até matar, ainda não chegou no meio árabe!
Chega dessa falta de senso, dessa falta de comprometimento e dessa falta de entender que profissionais são pessoas que levam sua arte a sério. Você NÃO é profissional de não faz tudo com profissionalismo.
Será que sou eu que sou comprometida demais? Sou eu que estou louca quando digo que não vou me contentar com nada mais ou menos? E saibam que esse meu lado crítico, começa no meu trabalho, na minha dança.
É uma falta de respeito absurda fazer o público sair da sua casa para uma dança mais ou menos... Por isso a imprensa e os meios de comunicação não se interessam pela nossa dança. Já viu por um acaso os shows do nosso meio sendo anunciados nos guias de arte? Não né? Pois é... Já viu um de nossos shows ter um público que não fosse composto por alunas, professoras, bailarinas, parentes ou namorados??? Também não né?

Por que será???
 
Texto da bailarina Luana Mello.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário