Recent Visitors

Ocorreu um erro neste gadget

Seguidores

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Um texto muito bacana da Luana Mello(assino embaixo e concordo plenamente)!!!!

Humildade passa longe quando o assunto é auto promoção no mundinho Bellydance, adjetivos exagerados nunca são economizados. Haja ego... Quase toda divulgação vem da 'melhor bailarina do mundo', ou no mínimo, da cidade! Vejam se essas frases não soam familiares aos seus ouvidos:
"A bailarina Fulana de Tal, que é a melhor bailarina de Tal Lugar, se apresentou no Maior Evento do Mundo!" Quem deu o título de melhor bailarina a gente não sabe, mas também não importa se ela tá pagando pra dançar no 'maior evento' do mundo!

"A grande bailarina Cicrana e o grande cantor Beltrano, vão fazer um incrível show no maravilhoso restaurante Blablablá!" Por que não apenas: A bailarina Cicrana e o cantor Beltrano, farão um show no restaurante Blablabla?

"A Grande Mestra..." Além de mestra é grande? Quem disse pra ela que ela é Mestra? Que Mestrado ela fez? Que tese defendeu? Precisa mesmo de tudo isso?

"Bailarina Internacional!" Meia dúzia de shows fora do país (alguns beeem duvidosos) bastam para que a palavra internacional apareça no seu currículo? Se fosse internacional mesmo minha nega, nem precisava bradar, tava todo dia lá no People+Arts... 'Prêmios Internacionais' então me dão crises de riso, principalmente quando não passam de certificados de participação.

Mestras, Divas, Deusas, Internacionais, Incríveis, Apareceu na Novela, No Programa da Luciana Gimenez, Melhor, Grande, Principal, Única, só na Dança do Ventre é que a gente vê essas barbaridades. Sabem o que um bailarino tem que ralar pra sonhar com o título de Mestre? E esse povo ainda não entende por que a Dança do Ventre é motivo de chacota... É cafonice demais! Em pouco tempo estaremos superando os argentinos e suas bailarinas Princesas. É uó do borogodó mesmo...
E na hora que sobe no palco, precisa fazer um auê danado por que de dança mesmo não tem muita coisa pra mostrar.

Texto da bailarina Luana Mello.


Um comentário: