Recent Visitors

Ocorreu um erro neste gadget

Seguidores

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Imagem da Dança do Ventre! Affff!!!!


Adorei este texto, repasso para vocês, deixem seus comentários!!!beijos.

O que poderia nos fazer mais felizes como representantes da dança do ventre? Para mim foi conquistar o coração de uma pessoa para a dança com o argumento da arte, e não da sedução, da boa forma, do "esquisoterismo". A imagem que se vende da dança do ventre é na maioria das vezes a mais rasa possível, e em outras tantas vezes é aquela que mais a desprestigia do que prestigia. A comprovação disso vem pelas opiniões que se manifestam a respeito dela mesma.
Já aconteceu com muitas bailarinas - para não dizer com todas - é só dizermos que fazemos dança do ventre para vários olhares maledicentes apontarem para nós! Eu tenho a convicção que a grande maioria das pessoas não tem a menor ideia do que é a dança do ventre, como ela se insere na cultura árabe-muçulmana e mais ainda: como hoje ela é uma arte, possuindo regras e interesses como um estilo de dança qualquer. Ainda assim é difícil encontrar quem saiba disso, assim listei abaixo o que mais ouço desse tipo de pessoa.
Ranking dos comentários mais frequentes que me fizeram sobre a dança do ventre:
1) Você já dançou para seu marido/namorado?
2) Hummm, você faz aquele negócio com a barriga?
3) O que seu marido/namorado acha disso?
4) Ah, dança do ventre, eu já vi na televisão algo sobre o pompoarismo... (???)
5) Dança do ventre é coisa do diabo!!
6) Você não tem vergonha de ficar se insinuando na dança pras pessoas?
7) Dança do ventre dá barriga...
8) Liberte a deusa-mãe que existe dentro de você...
9) Show de dança do ventre? Uhhhhh... (olhares maliciosos ¬¬)
10) É ruim que eu deixaria minha mulher fazer isso!!
Dá pra ver pela maioria dos comentários, que as pessoas colocam a dança do ventre no mesmo patamar que o strip-tease: a dança é uma atividade esvaziada de sentido, tendo por finalidade somente o entretenimento masculino!! E sinceramente? Eu vejo várias dançarinas do ventre usando e abusando desse estereótipo para se promover! Como defender a dança do ventre como arte se aparecem aos montes esse povo que se vende como carne no açougue?
A última agora foi uma tal professora de dança do ventre discriminada que vai posar nua. Detalhe que a discriminação não partiu de nenhuma relação com a dança do ventre, mas pela "beleza" da mulher, só que aparecendo os flashes em sua porta, ela prontamente escancarou que é professora de dança do ventre para apimentar sua imagem de sex symbol, explorando obviamente a sensualidade do imaginário das odaliscas.
A dança do ventre tem uma relação com a sensualidade, mas isso não é o seu ponto principal. Hoje o que chamamos de dança do ventre agrega diversas modalidades folclóricas árabes-islâmicas e respondem muito mais à cultura do que a uma forma de expressão da sexualidade. Até o povo que diaboliza a dança do ventre não pára para pensar que quando Jesus transformou a água em vinho, deviam haver diversas proto-dançarinas do ventre animando a festa!
Essa semana eu comecei a explicar a uma amiga historiadora, que odiava a dança do ventre, o que realmente era essa arte. Para exemplificar, coloquei a música clássica Traccia para ela ouvir e fui explicando com uma meia-dúzia de passos o que significava cada momento da música, os intrumentos, o que a dançarina deveria fazer; expliquei alguns tipos de folclores, e só. Claro, essa amiga é uma pessoa inteligente, não adianta jogar pérolas aos porcos, ela prestou atenção no que eu tinha a dizer, e impressionante: ela foi buscar vídeos e informações sobre a dança do ventre de verdade, não dessas mulheres que se promovem mais com seu corpo do que com técnica. Resultado: ela mudou de opinião, agora ela admira a dança do ventre como arte, e ela ainda me deixou um depoimento incrível expressando essa mudança!! Isso me deixou imensamente feliz, me deu mais esperanças que um trabalho formiguinha pode corrigir muitos preconceitos que a dança tem por aí.

Fonte de pesquisa: Dança do Ventre Brasil.com






Nenhum comentário:

Postar um comentário