Recent Visitors

Ocorreu um erro neste gadget

Seguidores

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Estudo da Dança do Ventre segundo Yasmine Amar. Texto muito interessante!!


Devido a gama de possibilidades que a INTERNET oferece, há muito material disponível nos sites de vídeos, blogs e redes sociais. No entanto, há uma questão que deve ser alvo de reflexão: como selecionar material para estudo e orientar nossos estudos em Dança Oriental e como estudar esse material?
Não é tão simples quanto parece.
Primeiro você precisa ter em mente o que você quer com sua dança.
Você pode fazer a dança por mero passatempo, hobby e portanto deixar nas mãos de sua professora/coreógrafa decidir o estilo que vai seguir.  Ou, você prefere não estar ligada a um grupo e estudar sozinha, definindo o que você quer para sua dança.
Em ambas as hipóteses, você vai se deparar com vários caminhos.
E é sobre estas possibilidades que trata esse post.
Primeiro passo, que eu considero fundamental a toda pessoa que pretende estudar esta Arte com seriedade: saber de onde viemos para definir para onde vamos.
Trata-se de conhecer as raízes, as origens da Dança e da Música Árabe.
Ou seja, conhecer e estudar as principais dançarinas da Era Dourada (décadas de 50, 60 e 70) bem como os Músicos desta mesma Era. Sem esse primeiro passo bem solidificado - um estudo sério e detalhado de movimentos e musicalidade - você fica refém de modismos.
Não tem como estudar a Dança Árabe sem estudar a Música Árabe com suas características fundamentais porque uma está intrinsicamente ligada a outra. Senão, corremos o risco de ler e interpretar a música oriental como ocidentais (o que tem acontecido muitíssimo em nosso País).
Conhecer a música árabe, sua estrutura (melodia, ritmo, percussão) e como interpretar cada elemento. Conhecer os instrumentos árabes e como podemos traduzir em termos de movimento, cada som, dentro de um estilo egípcio. Eis o primeiro passo.
É bem diferente do Jazz, por exemplo, onde você estuda os movimentos sequenciados e depois joga na música, na Dança Árabe isso se torna um desastre (e o pior é que tem muita gente de renome fazendo isso por aí, lamentavelmente) talvez por ser mais fácil para um ouvido ocidental ou por ser mais viável comercialmente pois, para formarmos uma dançarina que conheça a musicalidade e a Dança Egípcia, demoramos muitos anos enquanto que, para aprender bloquinhos pré-fabricados sem saber de onde vieram, de forma mecanicista e comercial, é bem rapidinho. Faz-se festinha, criam-se selos e mais selos e a coisa vai vendendo. Lotam-se teatros com espetáculos vazios, sem roteiro, sem direção. Alunas que dançam músicas sem nem saber quem compôs nem como... e as pessoas vão fingindo que tá tudo bem até mesmo porque não conhecem outras possibilidades.

Mas, voltando a falar da Dança Egípcia,  por onde começar?

Primeiramente, recomendo a obra destes quatro nomes, que pra mim, são os pilares de estudo de toda dançarina oriental que se preza:

1) Mohamed Abdel Wahab
2) Farid El Atrash
3) Abdel Halim Hafez
4) Om Kalthoum

Costumo dizer sempre em sala de aula: a música árabe é perfeita, ela é completa. As peças clássicas trazem exatamente tudo o que uma dançarina precisa. Basta saber ouví-las e interpretá-las dignamente. Ela diz para a dançarina o que ela deve fazer. Por que então nem todas fazem? Será que o ouvido ocidental não consegue ouvir além do ritmo? Ou será que estão tão preocupadas com as sequências prontas que esquecem que a música deve ser a base para sua performance?
Um músico que produziu uma série de cd´s "Best Of" destes grandes nomes, é Hossam Ramzy, com arranjos perfeitos para serem interpretados pela dançarina.
Com relação a vídeos de Dança no You Tube, não tem erro se você seguir o mapa das dançarinas da Era Dourada. Procure por:

1) Samia Gamal
2) Nagwa Fouad
3) Soheir Zaki
4) Mona El Said
5) Aza Sharif
6) Taheya Karioka
7) Naima Akef
8) Nádia Gamal
9) Fifi Abdo

Agora vem a questão fundamental: como estudar este material?
Não basta assistir superficialmente. É preciso assistir e analisar como elas executavam os movimentos, como interpretavam e sentiam a música e , sobretudo, como faziam a leitura musical, ou seja, de que maneira elas demonstravam cada momento da música em seus movimentos- melodia, ritmo, percussão.
Porque há muitas pessoas que eu ouço falar: "Ah, eu estudo as dançarinas da Golden Age."
Mas não vejo nada destas bailarinas em sua dança. Então eu pergunto: como ela estuda? Será que estuda mesmo ou somente passa o olho pra desencargo de consciência?
Apesar da maioria dos vídeos serem antigos, muitos em preto e branco, é um material que contém a essência da Dança Árabe e devem ser assistidos inúmeras vezes.
No Brasil, há alguns trabalhos em DVD que eu recomendo, dentro desta abordagem:

1) Michelli Nahid - DVD "Tempos" - é um DVD que retrata este estilo tradicional de Dança Árabe, músicas tradicionais e movimentos dentro deste estilo de dança. É uma obra prima. A primeira vez que assisti este DVD eu fiquei por muitos meses sem conseguir assistir outra coisa. Já faz alguns anos de seu lançamento e eu continuo estudando pois a Michelli conseguiu interpretar com tanta perfeição a essência da dança que acredito que este DVD seja a compilação de uma vida de estudo sério da Dança Oriental.

2) Nájua e os Elementos  - é um DVD antigo onde a leitura musical é impecável em cada estilo, bem como a riqueza de interpretação e coreografia valem muito a pena. É um DVD encantador. Década de 90 e ainda perfeito e atual. É um dos DVDs mais lindos que já assisti em minha vida.

3) Claudia Cenci - todos os dvd´s didáticos. A Claudia é uma bailarina que deve ser sempre estudada. Há dvd´s de workshops, dvd´s didáticos e ajudam muito professoras e alunas.

4) Serena Ramzy (é brasileira mas mora em Londres, é casada com o músico Hossam Ramzy). Esta é uma bailarina pra quem quer aprofundar seu estudo em leitura musical: não deixe de estudar seus DVD´s.

5) Fátima Fontes - possui 3 vídeos didáticos e alguns vídeos no you tube. É uma dançarina impecável e a cada dia surpreende pela qualidade técnica impecável.

6) Yasmin Nammu - possui apenas vídeos no you tube mas devem ser assistidos, são impecáveis.
Neste link tem uma entrevista bem interessante com esta grande mestra:
http://mais.uol.com.br/view/wxs5e3bsd547/os-misterios-da-danca-oriental-0402CD993066C8992326?types=A&fb_source=message

Dentro desta abordagem tradicional, há muito conteúdo a ser analisado.
Além de aprender a ouvir a música oriental, dentro de suas especificidades, a aluna vai ter que compreender o movimento, seu corpo a partir dessa cultura. E não adaptar essa cultura à sua expressão corporal ocidental. Eis um grande desafio. Há que se fazer um trabalho de dissociação das partes do corpo e consciência corporal, pois sem um controle da musculatura dissociada, fica mais difícil expressar as sutis nuances da musicalidade oriental.
E com relação às brasileiras, as bailarinas que eu cito acima, são para serem estudadas "dentro desse estilo ao qual me refiro". Não quer dizer com isso que eu menospreze ou desconsidere o trabalho de tantas mestras brasileiras não citadas. Apenas não vejo no trabalho delas o principal elemento no qual fundamento meu estudo: leitura musical árabe. O mesmo acontece com as egípcias modernas mais famosas, que dançam, na verdade, para agradar turistas. Eu vejo estas dançarinas marcando os derbakes e "dums" da música desprezando completamente a melodia e não consigo ver relação desta dança que algumas delas apresentam com a Dança Egípcia que eu conheci e me apaixonei: melódica, visceral!

Yasmine Amar.

Fonte de pesquisa: Yasmineamar.com 


Nenhum comentário:

Postar um comentário