Recent Visitors

Ocorreu um erro neste gadget

Seguidores

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Dançando Músicas Clássicas!!


Dançando Músicas Clássicas 
Texto de Jalilah - do blog Amor à bellydance!

Hoje gostaria de compartilhar com vocês, uma das formas de interpretar tecnicamente uma música clássica sem cometer erros, lembrando que todas as regras aqui ditadas são válidas para apresentações em Casas de Chá, não em palcos ou competições, onde regras como as que vou citar são simplesmente desconsideradas, não representando erros.
 Há muito tempo, tenho observado que nas apresentações de bailarinas em músicas clássicas na dança oriental árabe, existem certas regras que sempre são obedecidas para que haja certa "harmonia e equilíbrio" em cena. Aqui não trato da expressão da bailarina, que nesse momento, já deve ter sido estudada e construída na dança, muito menos de sua técnica e construção de passos e movimentos característicos de nossa arte, não... Nesse momento da dança, todos esses pontos já necessitam possuir plena harmonia: a expressão, os movimentos (técnica), a leitura musical... tudo isso, nesse momento já deve estar estruturado para passarmos ao passo de que estou falando, e os itens acima são assunto para outros posts... vamos devagar... Estou falando do comportamento da bailarina em cena, e do contexto de sua apresentação... de seu início, meio e gran finale... enfim, das "regras", (é difícil falar disso sem utilizar a palavra REGRA, por mais que eu não queira impor isso como tal, e nem deva... afinal... Quem sou eu pra isso???... mas é uma palavra que explica bem o que eu gostaria de dizer). Tudo começa com a música clássica... e sua introdução... Na música clássica, a introdução da música é o momento importante... O público aguarda, e comumente a música começa... e se passam alguns longos segundos (longos para quem espera, nunca para a bailarina, que sente o friozinho na barriga, e as pernas quererem parar por alí mesmo...) e em instantes, a música se apresenta, e se apresentam os músicos, (quando há música ao vivo), e você como bailarina, já sabe qual é o "drama" que vai encarar... se conhece a música, ok, maravilha, caso o contrário, irá confiar na sua experiência, em sua leitura musical, em sua qualidade técnica e em seu conhecimento adquirido durante os anos em que dançou...

A Introdução da Música - O Momento de Espera: Normalmente, em uma Casa de Chá, a bailarina não dança a introdução, o público aguarda sua entrada nesse momento. Assim, a regra se repete em shows que assisto por aí, inclusive com bailarinas de "clãs diferentes", escolas diferentes... exceto em alguns concursos, onde normalmente a introdução precisa ser "cortada", retirada da música por conta da contagem de minutos, normalmente restrita em palco.

 A Introdução da Bailarina - O Momento mais próximo da entrada em Cena e da Melodia: A introdução da música a apresenta, pode ser super grande, ou bem pequena, mas você identifica que ela acaba apenas quando inicia-se a Introdução da Bailarina, normalmente (e isso não é regra), a música muda de humor e dá início a toques de derback ou de instrumentos percussivos que parecem conversar com você... e te avisar: "Prepara que vai começar"... isso pode durar apenas alguns segundos e pode ser mesmo bem rápido... mas depois que você identificar esse toque na primeira música, você o identificará sempre...

Momento da Entrada - Na Melodia, a Bailarina se apresenta: Após a Introdução da Bailarina, temos a melodia, ela começa e a bailarina precisa ter começado com ela, como se a bailarina anunciasse a todos, com sua presença, que a música que realmente começa, que realmente inicia agências viagens sua evolução... e nesse momento, o da entrada, é importante a comunicação com o público, a saudação, é o "ganhar o público", cativar a platéia... e como sempre é hiper necessário todos os tipos de deslocamentos possíveis, imagináveis, para encher a sala de "vida"... Chegou a tão esperada... Identificar a Melodia é fácil depois de um tempo, é como minha amiga Monah disse uma vez pra mim, antes de uma prova: _ A música vai pedir pra que você entre, nesse momento, ela exige o seu movimento, mova-se, desloque, use e abuse dos arabesques... Pra ajudar quem está iniciando e pra facilitar a compreensão já que estou explicando à distância, pense que ela vem sempre na entrada, depois da "Introdução da Bailarina", que está presente na música inteira, mesmo que tocada de formas diferentes, ou em velocidades diferentes, como um dos nossos refrões de música ocidental.

Momento Técnico - A Bailarina Mostra sua Técnica: Esse momento virá em várias partes da música, e será também seguido de outros momentos de melodia, sempre... São os momentos em que a bailarina para para mostrar sua evolução, movimentos e técnica, onde mostra sua destreza com a dança... e quando a melodia vem, voltamos ao passo acima, para nossos deslocamentos, sempre lembrando de mudar, e se preocupando para não nos tornarmos repetitivas... finalizando sempre os movimentos que começa, para manter limpa sua dança... e mais uma vez a leitura musical mostra sua importância...

Momento Mudança de Humor - A Bailarina Mostra Diferentes Faces de Sua Dança: Toda música clássica, carrega consigo normalmente uma rica bagagem de ritmos e sons diferentes, e normalmente fica fácil identificar, conhecendo previamente os ritmos árabes que em todas elas há uma mudança de humor, drástica em algumas músicas e super discreta em outras... Algumas músicas trazem consigo um Khaleege, um Saidi ou até um Zaar pra quebrar a rotina... Sim, poderíamos chamar de quebra de rotina na música, ou até mesmo de mudança de humor... Então, concluímos que a bailarina precisa mudar de humor juntamente com a música... o que em concursos e pré-seleções por aí, pode demonstrar conhecimento apurado ou não da dança do ventre... e pode, muitas vezes desclassificar uma bailarina em um concurso, quando passa despercebida. Esse momento também vai ser intercalado com momentos de melodia, e momentos técnicos, que vão se repetir algumas vezes para "ligar" a música, pedacinho a pedacinho, frase a frase. Podendo chegar a momentos de derbacks longos fazendo a ligação com flautas calmíssimas... Assim, essa rotina se repete até que haja o Momento Caos.

O Momento Caos - Marca o declínio da música para sua finalização e depois de muito "suar a camisa" e dançar muito, a melodia ganha velocidade (às vezes, em algumas músicas, assustadora), e isso exigirá preparo da bailarina pra que a acompanhe, é o momento inverso ao da entrada, o momento de saudar novamente seu público, restabelecer contato, com a finalidade inversa: Ao invés de se apresentar, a bailarina toma o "ar da despedida"... É hora de ver todos novamente, de forma mais tenaz, mais rápida, mas demonstrando a serenidade de quem está cumprindo seu dever, e hora da bailarina guardar na memória um momento da música, que possivelmente será especial e eterno... normalmente, é dessa hora que ficam as boas recordações de uma dança... Você fez 80% do trabalho, curta um pouco com todos, é assim que EU encaro o momento... momento de registrar na cabeça tudo o que se passa... sem claro, esquecer da técnica...

Introdução Para a Finalização - Temos então, a Introdução para a Finalização, onde a música dá os primeiros sinais para paralisar, o humor muda outra vez, como um... "Pediu pra parar... parou! - que os brasileiros conhecem muito bem"... Nele, a bailarina já possui novamente o centro do palco... e vai utilizar de todos os artifícios possíveis, giros rápidos e etc, para criar a sensação no público de que algo maior precisa vir pra completar o processo... é o Gran Finale chegando.

Gran Finale - Guarde suas armas mais poderosas, e pelo Amor do Cristo, não termine fora da música, estraga tudo, traz uma sensação de frustração... (já passei por isso). E termine, termine feliz e maravilhada e linda e maravilhosa tudo o que começou, triunfante, mesmo que a introdução, e melodia e mudança de humor e outras coisas mais não tenham saído exatamente como o planejado...




Nenhum comentário:

Postar um comentário