Recent Visitors

Ocorreu um erro neste gadget

Seguidores

sábado, 8 de dezembro de 2012

Como cobrar cachê?


Você foi convidada pra dançar numa festa e vai cobrar um cachê. Vai dançar só uma música mesmo. Provavelmente, uma grande clássica com entrada com véu, uns 20 arabesques e os frufrus e tremidinhos de sempre que o povo gosta de ver.



Ok. Tudo acertado, mas na hora de cobrar o cachê, você se baseia em quê?
Dia desses passei por uma experiência dessa e confesso ter ficado cheia de dúvidas. Veja só, a gente não vai dançar com unha sem fazer, nem cabelo sem ajeitar, ok?

Então, façam as contas comigo: só no salão, ficam 50 reais. E nem estou levando em conta a depilação, porque senão, o preço ainda é maior.
Bom, daí calcule uma porcentagem de auxílio-maquiagem, afinal, a gente já tem a nossa maletinha pronta, mas quanto precisamos investir ocasionalmente para nos mantermos com produtos bacanas e indispensáveis na maletinha de odalisca?

Eu, pelo menos de 2 em 2 meses, compro uma sombra nova ou um rímel diferente… é um investimento que não tem fim.
Além disso, se a gente fosse levar tudo na ponta do lápis, iria pensar no valor dos nossos figurinos (incluindo o véu de seda) e do investimento que fizemos durante anos de aulas e workshops.

Agora, pensem comigo.
Se a gente fosse cobrar como cachê um valor justo, que pagasse todo esse arsenal, quem iria querer/conseguir pagar?
E é nessa hora que me pesa essa coisa de cobrar pra dançar… se a gente cobra um valor justo, não dança e se cobra um valor não justo, a gente não se valoriza, nem valoriza a nossa arte.

Devemos fazer uma pesquisa de mercado, analisando o preço médio da concorrência (o termo “concorrência” é estranho quando se trata de arte, mas pra fins financeiros funciona). Concomitantemente, faça o cálculo do gasto médio que você tem por apresentação (escova, unha, maquigem…) e analise o tempo (se vai dançar uma música ou várias durante o evento). A esse custo acrescente 100% do valor equivalente a sua “força de trabalho” ou esforço. Faça uma média entre o custo da concorrência e o seu custo e veja se o valor é adequado. Faça uma tabela constando os valores em horas de apresentação (exemplo: R$… por 10 minutos, R$… por 30 minutos e assim por diante).
Dessa forma você terá a noção exata do valor do seu trabalho. Mas é claro que isso é apenas uma dica de cálculo, pois tudo isso varia muito de região para região e da relação que os contratantes têm com as bailarinas…

Fonte de pesquisa: Texto de lorymoreira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário